top of page

Nova reserva ecológica para preservação de animais em extinção é criada em Guaramiranga, no Ceará

Atualizado: 8 de mai. de 2023


Em um esforço histórico para a conservação do periquito cara-suja, espécie que estava à beira da extinção no início deste século, acaba de ser criada uma nova reserva natural em Guaramiranga, Ceará. A Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Oásis Baturité, abrangendo 15 hectares, resulta de uma colaboração entre as organizações de conservação Aquasis e Rainforest Trust, juntamente com a Secretaria de Meio Ambiente do Ceará. O objetivo é preservar o habitat desta espécie em perigo de extinção, somando esforços ao Refúgio de Vida Silvestre (REVIS) Periquito Cara-suja, Unidade de Conservação estadual limítrofe de 39,12 hectares, gerida pela parceria entre Secretaria de Meio Ambiente do Ceará e Aquasis.



Visão aérea do REVIS Periquito Cara-suja e RPPN Oásis Baturité

Dentre as principais ameaças enfrentadas pelo periquito cara-suja, destaca-se a redução dos ambientes onde vive. Segundo projeções climáticas, um cenário futuro de altas emissões de carbono trará perda de 91% do seu habitat até 2040. Esse contexto futuro é agravado pela atual e demasiada instalação de empreendimentos imobiliários na serra de Baturité.Com isso, o cara-suja e muitas outras aves dependentes de florestas úmidas e preservadas terão suas situações de ameaça agravadas. O estabelecimento da Reserva Natural Oásis Baturité representa um passo importante na conservação da biodiversidade local, proporcionando um refúgio para espécies se reproduzirem com segurança. Outras seis reservas naturais federais protegem 254,32 hectares locais, mas a Oásis Baturité é a primeira em âmbito estadual e outras precisam ser criadas com mais celeridade. A Associação Caatinga é uma entidade não governamental que influenciou a criação de todas estas reservas.



Cara-suja em oco natural, na RPPN Oásis Baturité.

A Reserva Natural Oásis Baturité é um reduto de floresta úmida em meio a diversos empreendimentos imobiliários. Ela compartilha com o REVIS Periquito Cara-suja uma importante cobertura florestal em estágio avançado de preservação. Sua administração será realizada por equipe experiente em manejo de fauna do Projeto Cara-suja, da Aquasis.

Além do combate à caça e captura de animais silvestres, com apoio do Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA), a intenção é criar um núcleo avançado de conservação da Mata Atlântica cearense, com a implantação de uma sede para visitantes, visando a realização de treinamentos para execução de programas de biologia interventiva, como reintroduções e instalação de ninhos artificiais.

Tucaninho-de-baturité na RPPN Oásis Baturité.

Sapo-de-cascon, endêmico da serra de Baturité, Criticamente Ameaçado de extinção, segundo a lista vermelha do Ceará.

"Estamos entusiasmados em anunciar o estabelecimento da Reserva Natural Oasis Baturité", disse Fábio Nunes, Coordenador do Projeto Cara-suja. “Esta reserva representa um marco significativo em nossos esforços contínuos para conservar o cara-suja, e agradecemos a todos os parceiros e partes interessadas que se uniram para tornar essa visão uma realidade”.

Jacaratiá na RPPN Oásis Baturité.

Essa é a terceira RPPN da ONG Aquasis. Foi antecedida pelas RPPN Oásis Araripe e Oásis Araripe II. Segundo Fabio Nunes, “o nome Oásis tem um sentido figurado para Reservas Particulares e foi idealizado para ser um local de resistência ao que tem ocorrido com os ambientes naturais do entorno. Ao mesmo tempo, um convite para que outras áreas se unam e sejam também ambientes aprazíveis para a natureza e os animais. Além do caráter de preservação de ambientes muito importantes, as RPPNs da Aquasis serão locais para a prática da Biologia da Conservação de intervenção, como por exemplo, instalação de ninhos artificiais; criação de microlevadas; translocações; reintroduções de espécies, etc.”

A RPPN Oásis Baturité também servirá como um centro para pesquisa científica e educação, oferecendo oportunidades para pesquisadores, estudantes e comunidades locais aprenderem sobre a ecologia única e a importância da rica fauna da serra de Baturité e seus habitats. Programas educacionais, trilhas interpretativas e centros de visitantes serão estabelecidos para promover a conscientização pública e a valorização dos esforços de conservação realizados na reserva.

"É um legado que deixamos para as futuras gerações. Acreditamos que a educação e o engajamento social são componentes-chave nos esforços de conservação bem-sucedidos", acrescentou Fábio Nunes. "Ao envolver as comunidades locais e aumentar a conscientização sobre a importância do cara-suja e seu habitat, podemos criar um senso de propriedade e administração entre a população local, o que é fundamental para o sucesso a longo prazo desta iniciativa de conservação."

O estabelecimento da RPPN Oásis Baturité é um passo significativo para salvaguardar o futuro do cara-suja e seu habitat. Demonstra um forte compromisso com a conservação, colaboração e envolvimento da comunidade e estabelece uma referência para esforços de conservação proativos e eficazes para proteger espécies ameaçadas de extinção.

41 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page